sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

Estilo é para sempre

Saint Laurent (2014) de Bertrand Bonello.


Rastejamos perto do monstro que vemos nascer aos poucos. Ficamos presos pelas luzes, pelos movimentos dos corpos e pelo ambiente do bestiário que era a moda e a noite. No meio disso, há um homem que é confrontado por um lado escuro de si próprio - um modelo ou um manequim, obcecado pela beleza - ao ponto de ir longe demais. Parece que chegamos sempre a horas de viver aquilo que é essencial. Existem os factos da vida do homem, que estão escritos. Mas vamos para além. Somos abandonados à poética. Diz Bonello que sentiu apenas uma necessidade de se manter ao lado de Yves, acontecesse o que acontecesse. 
Onde está o Saint Laurent? 
Não sei. Talvez ele seja apenas um perfume, agora.